Dicas

Dicas para melhorar a vida útil da sua embreagem

A menos que possua um sistema ou câmbio automático, você a utiliza inúmeras vezes por dia, mas talvez só se lembre dela quando apresenta desgastes ou defeitos. É a embreagem, ela existe fundamentalmente para possibilitar a ligação progressiva do motor com a transmissão nas arrancadas da imobilidade e, secundariamente, para facilitar as trocas de marcha e permitir o perfeito trabalho dos sincronizadores da caixa de mudanças.

Disco, Platô, Rolamento, Grafo e Tubo guia

 

Cuidado com o pé

O primeiro mandamento para preservar a embreagem é utilizá-la apenas quando necessário. Parece óbvio, mas muitos motoristas, às vezes sem perceber, mantêm o pé esquerdo “descansando” sobre o pedal, o que provoca um acionamento parcial do sistema, gerando calor e desgaste prematuro. É uma causa bastante comum de embreagens que exigem substituição com baixa quilometragem de uso.

Atenção nas reduções

Ao reduzir marchas, evite ultrapassar o regime máximo de rotações do motor (indicado pelo conta-giros ou, em sua ausência, pela velocidade correspondente em cada marcha, que deve ser conhecida pelo motorista). Engatar, por exemplo, a segunda a 120 km/h pode quebrar o disco pela força centrífuga, o que imobiliza o veículo e exige sua substituição — mesmo que o pedal de embreagem não seja solto, pois o disco gira com o câmbio.